file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Cultura, Esporte e Lazer

Chapada: Palmeiras quer continuidade de tradição no carnaval; organizadores pedem apoio

02 de Fevereiro de 2017 (atualizado 29/Jun/2017 17h34)

Evento está ameaçado por falta de investimentos. Uma comissão voluntária foi criada para tentar manter o carnaval na agenda

Foto: evento está ameaçado por falta de investimentos. Uma comissão voluntária foi criada para tentar manter o carnaval na agenda (Reprodução/Facebook)

Do Jornal da Chapada, com informações da Redação do Cultura&Realidade

Carnaval tradicional da região da Chapada Diamantina, com 91 anos de folia, a festa de Palmeiras está sendo organizado com ajuda das pessoas que gostam da cidade. Um cartaz está circulando nas redes sociais com o pedido de colaboração financeira via depósito bancário. Isso tudo para preservar essa manifestação cultural de tantos anos da cidade.

Em nota de esclarecimento, publicada em rede social pela comissão organizadora do ‘CarnaChapada 2017’, a festa terá apoio institucional e corre o risco de não acontecer. “Diante das inúmeras dificuldades que o município de Palmeiras está enfrentando, o atual gestor Ricardo Guimarães [PSD] decretou que não iria realizar o carnaval de Palmeiras 2017”.

Com essa negativa e com as questões envolvendo falta de abastecimento de água, foi criada uma comissão voluntária para tentar realizar o evento com baixo custo. “Estamos buscando de todas as formas recursos para que possamos realizar o evento. Porém, precisamos da ajuda de todos, precisamos nos unir em prol desse grande objetivo que é fazer com que a nossa principal manifestação cultural não morra”, aponta trecho da nota.

Sobre o longo período de estiagem e a escassez de chuva na região da Chapada Diamantina, a comissão deixa explícito que o evento pode não acontecer. “Realmente a situação é crítica, motivo de preocupação para toda população. Se não chover, não haverá carnaval. Nós da comissão também estamos preocupados com a falta de água e não apenas em fazer a festa”.

Uma das grandes conquistas da comissão foi o apoio oficial de uma marca de cerveja, que vai custear toda a estrutura de palco. “A cerveja oficial do CarnaChapada 2017 será a ‘Skol’, a cerveja mais aceita do Brasil. A empresa chegou junto, abraçou a nossa iniciativa e irá arcar com toda estrutura de palco, som, iluminação, geradores e banheiros químicos. Enxugando assim uma grande fatia do nosso orçamento”, reiteram os organizadores .

Festa fechada - Caso a folia aconteça, a população de Palmeiras deve contar com a festa do Bloco Mandaca, programado para movimentar a cidade no dia 26 (domingo de carnaval), a partir das 14h, na Rua do Mandacarú, como uma das principais atrações locais. O abadá adulto custa R$50 e o infantil R$30 até o próximo dia 10. E por esse valor as pessoas terão direito a bebida e comida. Os pontos de vendas são a Farmácia Bom Jesus, o Villas Bar e o Bistrô Doce Harmonia. As apresentações musicais ficarão por conta de Jeean Santana, Dioguinho, Vem Luxar (com participação de David Bahia) e DJ Marquinhos.

Cancelamentos em outras cidades - As dificuldades dos organizadores do Carnaval de Palmeiras são praticamente as mesmas que levaram ao cancelamento de dezenas de eventos carnavalescos em todo o país: a crise econômica. Somente na região de Irecê, as duas festas mais importantes de Carnaval, o CarnaLapão em Lapão e o Carnaval de Barra do Mendes, foram canceladas por dificuldades econômicas das prefeituras, responsáveis pela promoção dos eventos. Assim como em Palmeiras, a estiagem prolongada potencializou as dificuldades, já que os cofres municipais precisam dar suporte as ações emergenciais de enfrentamento a seca.