file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Educação

Centro de Educação do Campo da Uneb em Irecê começa a sair do papel depois de 8 anos

15 de Março de 2017 (atualizado 28/Jun/2017 15h39)

Nova estrutura tem previsão de entrega para setembro. Projeto, que esteve paralisado por anos, foi objeto de esforço da atual direção para que fosse concretizado

Foto: obras do centro de educação do campo da Uneb em Irecê foram iniciadas agora em março (Rodrigo de Castro/Arquivo C&R)

Foto: obras do centro de educação do campo da Uneb em Irecê foram iniciadas agora em março (Rodrigo de Castro/Arquivo C&R)

Redação Cultura&Realidade - Por Rodrigo de Castro Dias

O campus da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) em Irecê começa a materializar um antigo sonho regional. Depois de anos de atravancamentos burocráticos, o Centro de Educação do Campo teve seu projeto consolidado, e as obras, iniciadas.

Oriundo de um edital do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) lançado em 2008, os recursos foram obtidos pelo Território de Identidade de Irecê, presidido à época pelo atual suplente da Assembleia Legislativa da Bahia, Mário Jacó (PT).

"Foi um recurso que nós conquistamos para a Uneb via Território, mas que ficou enganchado por anos no ministério. Graças a atual gestão da Uneb, que correu atrás de resolver a parte burocrática, finalmente a nossa região será agraciada com essa importante estrutura educacional", explica Jacó. 

Desde então, inúmeros problemas burocráticos impediam que os recursos fossem alocados na construção da estrutura no Campus XVI da Uneb. Essa estrutura era considerada fundamental pela direção da universidade para a implantação de cursos de graduação voltados as ciências agrárias, de acordo com o diretor da Uneb em Irecê, Joabson Figueiredo.

"Apesar da finalidade original do projeto do Centro, é claro que agora ficará um pouco mais fácil conseguirmos a aprovação para oferecermos o curso de Agroecologia aqui no Campus XVI", explica Joabson. "Quando a estrutura ficar pronta, de cara iniciaremos as aulas de duas especializações voltadas para educação do campo, o objetivo é dar finalidade imediata a nova estrutura", garante.

O curso de graduação em Agroecologia citado pelo diretor está com o projeto político-pedagógico aprovado pela universidade, mas depende de apoio governamental para que seja implementado. No momento, não há previsão para formação de turmas. "A Uneb tem recursos bastante limitados, então depende do governo assumir esse debate. Aliás, o novo centro casa tranquilamente com isso, é mais um argumento para ajudar na implantação do curso", completa.

Porquê tanto tempo?

O diretor esclareceu algumas questões sobre esse intervalo de oito anos entre a aprovação do projeto e o início das obras. Segundo ele, quando a atual direção do Campus XVI assumiu, no final de 2014, encontrou o projeto parado. O que motivou a nova direção na busca por uma solução para o problema.

"Em linhas gerais, tivemos que buscar complementação financeira junto a União para atualizar a planilha, depois costurar com a universidade uma contrapartida financeira para viabilizar o projeto, corremos atrás de parcerias em alguns campos, que na verdade foi ajuda voluntária... o acompanhamento da obra que tá começando é fruto da ajuda de um arquiteto do governo, para você ter ideia", conta. "Depois de tudo isso fizemos a licitação e agora em março as obras começaram. Foi bem complicado desamarrar esse projeto, mas felizmente conseguimos", comemora.

Contudo, o diretor se esquiva quando a questão é a falta de atitude das antigas gestões do campus com relação ao projeto. "Sobre isso eu não faço ideia, não sei qual era a situação antes de assumir (a direção), pois não atuava aqui em Irecê", afirma.

Estrutura e prazos

O Centro de Educação do Campo da Uneb em Irecê contará com 4 salas de aula, sala de pesquisa e um mini-auditório com capacidade para 60 pessoas, com investimento total de aproximadamente R$ 600 mil, sendo parte do montante uma contrapartida financeira da universidade. A conclusão das obras está prevista para setembro, e as primeiras atividades no novo espaço deverão começar ainda em 2017.