file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Geral

Capoeiristas de Irecê representados em dois grandes eventos neste final de semana

Cultura&Realidade - 30 de Outubro de 2017

file-2017-10-30173929.595528-capoeira6d6fbbae-bdb2-11e7-97a4-f23c917a2cda.jpg

Capoeiristas se encontram em Xique-Xique em grande evento do “Mestre Ralado” – Foto: Cedida por Francisco Bezerra.

A capoeira ireceense esteve representada em dois eventos importantes neste final de semana. O “Mestre Franck” participou do 30º Festival do Grupo Esquivas, em Barreiras. Ele esteve acompanhado do formando Cycinho. Dentre outros estados, estiveram representados o Tocantins e Brasília. O evento celebrou, a partir de apresentações clássicas, a formatura e troca de graduações de vários capoeiristas do Oeste baiano.

O mestre Francisco e o mestrando Amarai lideraram o “Serpente”, grupo de capoeira de Irecê, na cidade de Xique-Xique, onde participaram das apresentações no evento promovido pelo “Contramestre Ralado”, onde também compareceram referências regionais da campoeira, como os mestres Zé Maria, de Barreiras; Sérgio, de Salvador e Jocilon de Barra do Rio Grande.

ARTICULAÇÃO – Na semana passada o secretário de governo de Irecê, João Gonçalves, recebeu coletivo da “Frente Parlamentar em Defesa da Capoeira”, formado por diversos mestres e as vereadoras Meirinha e Margarida Cardoso, que na oportunidade justificaram a ausência do idealizador do movimento, vereador Toinho do Judô.

Durante a reunião, o secretário acolheu propostas para definição de agenda para ações de interesse do segmento. Por sua vez, o secretário sugeriu que os capoeiristas seguissem alinhados com os vereadores, na definição de orçamentos para o setor, “uma vez que o projeto de Lei da LOA – Lei de Orçamento Anual, se encontra em discussão na Câmara”, disse João.

Foi exposto também, pelos mestres capoeiristas participantes, que havia uma discussão se capoeira era esporte ou cultura, o que dificultava o diálogo com entes públicos. O secretário manifestou que compreende a capoeira como um movimento cultural mas também esportivo, a exemplo do futebol, que é esporte e é cultura. “Porém, do ponto de vista legal, para fins de políticas públicas, a capoeira é uma manifestação cultural relevante e que precisa, dentro dos limites de possibilidades, ter apoio para o seu desenvolvimento e afirmação”.

De acordo com o conceito clássico, definida em uma publicação da Mundo Educação, “a capoeira é uma representação cultural que mistura esporte, luta, dança, cultura popular, música e brincadeira. Caracteriza-se por movimentos ágeis e complexos, onde são utilizados os pés, as mãos e elementos ginástico-acrobáticos. Diferencia-se das outras lutas por ser acompanhada de música.”

Da redação.

Mestre Franck, terceiro da esquerda para a direita, na primeira foto. As demais: flashes dos eventos - Foto: Cedidas por Franck e Francisco Bezerra