file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Festival Gastronômico Paladares do Sertão

Cantigas e brincadeiras marcam "Rodas de cultura"

29 de Outubro de 2015

indias.jpg [caption id="attachment_2817" align="aligncenter" width="300"]india Cantigas e cantadores no "Rodas de Cultura" - Fotos: João Gonçalves[/caption] A tarde e noite de sábado, 24, foram movimentadas pela a alegria e promoção da arte e cultura popular, na rua da Palha, na comunidade Morros de Higino, município de Jussara-BA, pela iniciativa da Associação Comunitária Mãe Bazu. Um palco móvel sonorizado, decorado com pano de chita e cadeiras colocadas nos dois lados da rua para acolher o público, especialmente o mais idoso, formaram a estrutura necessária para garantir o início do resgate e promoção da cultura popular na comunidade, pelo “Rodas de Cultura”. Técnica do Ipeterras – Instituto de Permacultura em Terras Secas, Marilza Pereira (Índia), foi a coordenadora do evento que envolveu vários colaboradores.   [caption id="attachment_2820" align="aligncenter" width="300"]indias Fotos: Índia Pereira[/caption] À tarde, pessoas de várias gerações, especialmente crianças, deram início às “Rodas de Cultura”, movidas pela animação das palhaçadas de “Gordurinha” e das brincadeiras de crianças desenvolvidas pela poetisa Núbia Paiva. E a estas brincadeiras foram se incorporando outras artes circenses, sob a maestria de Bené Oliveira. O por do sol foi cintilando o horizonte e a noite foi chegando, e com ela, a música e a dança do povo que resiste ao tempo e à massificação midiática: Lá vinham as mulheres e homens de Morros dos Lúcios com seus adereços e roupas coloridas para o espetáculo da dança de “São Gonçalo”, com as chulas, aboios e outras modas do cancioneiro popular. E a noite foi adentrando e o povo se emboletando. Na porta de casa da sempre hospitaleira Anízia, as pessoas encontravam comidas típicas do povo caatingueiro. Carne assada, sarapatel, mocotó, farofa de arroz e de cuscuz, doce de leite, sucos, bolos de milho e de aipim. As bebidas preparadas com gosto de quebra-facão, cambuí e outras delícias alcoólicas para aliviar a goela no prosear, esquentando o esqueleto para entrar na pista de dança. Voz, viola e violão, sax, flauta, pandeiro e triângulo faziam ecoar as cantigas de amor ou manifestos da dor causada pelo abandono da pessoa amada, ou pelas frustrações que o mundo dá. E assim seguiu madrugada adentro, entre uma música e uma poesia, quase o sol raiou... até que em última melodia, seguida de uma poesia, todos se despediram, alguns à "francesa", outros em abraços, risos e choros, com promessas de um novo encontro na rua da Palha, ano que vem. Se apresentaram: Francisco Gui, Clendson Barreto, Núbia Paiva, Márcio, Dimas, Índia Pereira, Lívia Ramaiana, Rubinho do Rio, Bené Oliveira, “Seu Lelo”, Barage, Marlan, Nego Gi Seresteiro, Magno Oliveira, Robinho, Cássio, Fabíola Souza e Emanuela Rios.