Economia

Bolsonaro confirma aumento do salário mínimo para R$ 1.045 a partir de fevereiro

Cultura&Realidade - 15 de Janeiro de 2020

file-2020-01-15102257.162805-Sem_titulo-124e4755a-379a-11ea-a930-f23c917a2cda.jpg

 O valor previamente estabelecido para o salário mínimo era de R$ 1.039. - Foto: Ilustração


O governo decidiu na última terça-feira, 14, elevar o salário mínimo de 2020. Sairá dos atuais R$ 1.039 para R$ 1.045 a partir de fevereiro para garantir que o valor recomponha perdas inflacionárias. O anúncio foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro em entrevista à imprensa ao lado do ministro Paulo Guedes (Economia).


Segundo Bolsonaro, a elevação será feita por meio de medida provisória e o novo valor passará a valer em 1º de fevereiro. “Tivemos uma inflação atípica em dezembro. Foi basicamente da carne. E tínhamos que fazer com que o valor do salário mímico fosse mantido. Então, ele passa via medida provisória de R$ 1.039 para R$ 1.045“, afirmou.


Na manhã desta terça, Bolsonaro já havia dito que iria se reunir com Guedes para rever o valor. Na ocasião, ele afirmou que haveria uma “brecha” no Orçamento para garantir o aumento.

 O valor previamente estabelecido para o salário mínimo era de R$ 1.039. À época da definição, em 2019, o governo utilizou uma projeção do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), usado como base para o reajuste, de 4,1%.


No entanto, o índice fechou o ano passado em 4,48%. Além de cobrir essa diferença, o governo também incorporou valor residual de 2018 (que não havia sido incorporado ao salário mínimo de 2019) para chegar ao valor de R$ 1.045.


De acordo com Paulo Guedes, para custear o novo valor do mínimo serão necessários cerca de R$ 2,3 bilhões. O governo anunciará na próxima semana de onde esse dinheiro virá. O ministro disse que o governo espera arrecadar mais R$ 8 bilhões, mas não quis detalhar qual será a fonte dessa receita.


“Vai ser anunciado, possivelmente em mais uma semana. Nós vamos arrecadar mais R$ 8 bilhões de forma que esse aumento de R$ 2,3 bilhões vai caber no Orçamento“, disse ele. Pode haver contigenciamento caso essa arrecadação não se confirme.

Da Redação, com informações do Poder 360°