file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Bahia

Bahia é líder nacional na comercialização de projetos de energia solar, com participação de 31% dos leilões

Rodrigo de Castro Dias - 08 de Junho de 2017 (atualizado 19/Jun/2017 16h37)

Dez municípios deverão ser beneficiados com 49 projetos, previstos para serem inaugurados em um ano. 

Foto: parque é o maior do tipo no Brasil, sendo operado pela Eneel Green Power (Reprodução)

Foto: parque é o maior do tipo no Brasil, sendo operado pela Eneel Green Power (Reprodução)

Redação Cultura&Realidade

O sol que irradia no semiárido tem sido melhor aproveitado depois que a Bahia incrementou a produção de energia limpa. Na liderança do setor de comercialização de energia solar fotovoltaica, a Bahia dispara com a abertura de mais empreendimentos. Nesta semana, o maior parque de geração de energia solar do país, da empresa Enel Green Power, no município de Bom Jesus da Lapa, entrou em operação. 
  
De acordo com a Enel, a energia é suficiente para atender por ano o consumo de mais de 166 mil lares, evitando a emissão de cerca de 198 mil toneladas de CO2 na atmosfera.
 
“Empresas preocupadas com o meio ambiente que agreguem valor ao estado e tragam benefícios à população são o foco da política de atração de investimentos da Bahia. No segmento de energia renovável, estamos dando o exemplo para o Brasil. Somos líderes no país comercialização de projetos de energia solar com a participação de 31% nos leilões”, explica Jaques Wagner, secretário estadual de Desenvolvimento Econômico.
 
Os investimentos não param por aí. A previsão é que outros 10 municípios sejam beneficiados com os 49 projetos previstos para a inauguração no estado dentro de um ano, com aportes de R$ 6,1 bilhões. Os municípios que mais possuem projetos são Tabocas do Brejo Velho, com 18 projetos, Bom Jesus da Lapa com 14 e Caetité com 7.
 
Prospecção - Todo o processo de prospecção, captação e acompanhamento é realizado pela SDE. “Desde o licenciamento, regularização fundiária, logística para transporte de equipamentos, articulação com sindicatos e secretarias; prefeituras até a concessão de benefícios. Não seria possível a instalação destas empresas se não fosse o trabalho da secretaria”, explica Laís Maciel, diretora da SDE. 
 
A agilidade das prefeituras é outro ponto fundamental para a instalação dessas empresas. “Em Bom Jesus da Lapa, a prefeitura acompanhou de perto os licenciamentos ambientais e aprovou a diminuição dos encargos para a implantação”, explicou o prefeito de Bom Jesus da Lapa, Eures Ribeiro.
 
O Governo do Estado tem investido no segmento renovável pela capacidade de gerar energia não poluente e pela empregabilidade do setor. Dados da ABSOLAR mostram que a média é de 30 empregos gerados por cada megawatt instalado, em toda a cadeia produtiva (equipamentos, construção, operação e manutenção).

Com informações da Secom