file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Irecê e Região

Após ter tirado 900 animais das ruas de Irecê em pouco mais de um ano, entidade fica sem veterinário

Cultura&Realidade - 24 de Março de 2018

file-2018-03-24174633.512451-safira70029210-2fa4-11e8-98f4-f23c917a2cda.jpg

Dr. Edício, em seu voluntariado, agora impedido; Dra. Isabel, de camisa branca e Safira Machado - Fotos: Arquivo da Associação

A ação que tem apoio de diversas pessoas, como a empresária Safira Machado, Dra. Eulália Almeida, médica e Dra. Maria Isabel, delegada de polícia em Irecê, já retirou ou castrou cerca de 900 animais de rua. Um importante serviço de saúde pública e ambiental.

 

Dez dias após a realização da oitava Feira de Adoção de Animais de Rua, ocorrida segunda-feira, 12, a Associação Amigos dos Animais Abandonados de Irecê foi surpreendida com a notificação do Conselho Regional de Medicina Veterinária, para que os profissionais credenciados suspendam as atividades voluntárias em benefício da suas ações.

A notificação veio direta para um dos principais veterinários que colaboram com a entidade, Dr. Edício Dourado. “Sabemos dos impedimentos do regulamento, mas não tive como não me compadecer da luta das pessoas amigas dos animais abandonados”, disse o veterinário, que, como outros, vinha colaborando com apoio técnico e operacional.

Com a suspensão dos serviços veterinários, a presidenta da associação Márcia Fabíola Lopes está enfrentando dificuldades para o desenvolvimento das ações que ocorrem nas ruas e espaço cedido pela prefeitura, em galpão improvisado no setor de transportes, onde estão alojados cerca de 17 animais. Dez outros estão mantidos em lares temporários, de pessoas que, desde que tenha auxílio veterinário, mantem os bichos em seus lares.

Os serviços de manutenção, como alimentação dos animais e limpeza do alojamento coletivo, são feitos pela servidora municipal Isaura Pimentel (Isaurinha), idealizadora do projeto que todos os dias realiza a rotina de higienização do espaço onde ficam os cães. Os gatos ficam em lares temporários.

RESULTADOS – Com um ano e quatro meses em operação, o projeto acolhido pela organização social recentemente criada, ganhou diversos amigos e apoiadores. Atualmente são 10 padrinhos e madrinhas que adotam determinados animais, e amigos que ajudam eventualmente são 49, totalizando 59 apoiadores.

“Neste menos de um ano e meio, temos a felicidade de ter cuidado, conforme registros em fichamentos, de quase 900 animais, que tiramos das ruas. Conseguimos lares através de adoção e castramos com apoio de diversos profissionais, melhorando a saúde ambiental e animal em nossa comunidade”, relata Isaurinha.

A delegada de Polícia Civil de Irecê, Maria Isabel, secretária da associação, afirma que o trabalho tem sido essencial. “Imagine como estaria a cidade de Irecê, com estes cerca de 900 animais que se encontravam abandonados e que ganharam um novo e digno destino através deste trabalho!”, enfatiza.

A empresária Safira Levi e a médica Dra. Eulália, dentre outros, aprovam as ações da entidade e compreendem que os poderes legislativo e executivo devem criar políticas públicas favoráveis para cuidar dos animais. “Este serviço previne muitos problemas de saúde pública”, ressalta a médica.

Isaurinha disse que encaminhou solicitações para o gabinete da prefeitura e para vereadores e que está no aguardo de agendas para tratar desta pauta, na esperança de se criar e implantar política pública de fato voltada para animais de rua.

Dra. Isabel e Isaurinha no espaço cedido pela prefeitura para os animais cuidados pelos membros da associação. À direita, feira de adoção de animais.