file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Irecê e Região

Angustiados com a paralisia do Governo Federal, agricultores do Baixio vão ocupar escritório da Codevasf em Irecê

Cultura&Realidade - 02 de Março de 2018

file-2018-03-02120855.983323-baixioa07df1a8-1e2b-11e8-98f4-f23c917a2cda.jpg

Estrutura está sendo deteriorada por falta de uso e os sonhos de centenas de agricultores e milhares de possíveis empregados vão desaparecendo no leito do canal - Foto: Arquivo Google

Os agricultores do Território de Irecê que possuem lotes no Perímetro Irrigado do Baixio de Irecê decidiram pressionar a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do Rio São Francisco e Parnaíba (Codevasf) para que ela conclua a última etapa da infraestrutura necessária para a produção agrícola no local.

Em reunião realizada na última quarta-feira (28) na sede da Cooperativa Agropecuária Mista Regional de Irecê (Copirecê), o grupo decidiu realizar uma manifestação no escritório da Codevasf em Irecê. Eles vão ocupar o local durante todo o dia, de 6h até 18h, realizando debates e distribuindo material informativo sobre a situação do Baixio e as reivindicações do coletivo.

"Tem muita gente nossa indo para Minas Gerais em busca de trabalho porque não bota mais fé (no funcionamento) do Baixio", queixou-se um agricultor. De acordo com a opinião dos proprietários dos lotes, existe um descaso com a estrutura, uma vez que a Codevasf não toma as providências necessárias para que os lotes possam produzir plenamente.

Existem alguns agricultores produzindo de forma limitada nos lotes, afirma Ocelmário Gomes, presidente da Associação dos Produtores Rurais do Perímetro Irrigado Baixio de Irecê (Apribi). Mas a quantidade de alimentos produzida ainda é muito pequena frente a capacidade prevista, pois falta o principal, que é o funcionamento do canal de distribuição de água. "Do jeito que está o Baixio não tá contribuindo realmente pra região. O que não pode é ficar vindo caminhão de melancia lá de Juazeiro pra vender aqui", reclama o agricultor.

Vontade política - Na opinião de Mário César Gottsried, um dos sócios da Irriga Bahia, detentora de um lote empresarial na área do Baixio, o problema do projeto é principalmente uma questão da falta de interesse dos agentes políticos. "Não existe vontade política alguma para que o Baixio de Irecê se desenvolva. Nem no legislativo, nem no executivo estadual, muito menos na esfera federal. Tudo o que fazem é nos enrolar com falsos atendimentos e tapinhas nas costas", reclama. 

Para o irrigante, tudo se trata de uma questão de interesses. "O Baixio está na situação que está porque os interesses políticos estão direcionados para outros locais. Os recursos da Codevasf não vem mais pra cá, vão para outros estados porque tem deputados desses locais disputando e puxando os investimentos. Falta pra região de Irecê deputados que realmente defendam os nossos interesses. É muito lamentável, pois o potencial econômico é enorme e não está sendo aproveitado", ressalta. 

O que falta? - Na avaliação da Apribi, R$ 30 milhões é o investimento necessário para que a Codevasf conclua a infraestrutura planejada no projeto do Baixio, os recursos seriam destinados para obras na estrada que liga o perímetro irrigado a BA-052 no município de Itaguaçu da Bahia, além da conclusão do canal principal, que no momento não bombeia água para os lotes. Os agricultores relatam que a estrutura vem sofrendo deterioração pela falta de uso. "Já existem rachaduras na canal, e a Codevasf precisa fazer os reparos antes de colocar em funcionamento", aponta a Apribi.