POLÍTICA

Alemanha suspende investimentos em projetos de proteção à Amazônia e Bolsonaro manda recado para chanceler Angela Merkel

Cultura&Realidade - 15 de Agosto de 2019

file-2019-08-15105955.634387-kkkkkkf60038e4-bf64-11e9-b6ac-f23c917a2cda.jpg

"Pega essa grana e refloreste a Alemanha, tá ok? Lá está precisando muito mais do que aqui” - Foto: Ilustração

No fim de semana, Alemanha suspendeu investimentos em projetos de proteção à Amazônia em função das altas taxas de desmatamento. Após tal suspensão, o presidente Jair Bolsonaro mandou a chanceler alemã, Angela Merkel, usar o dinheiro no reflorestamento daquele país. Segundo ele, a Alemanha precisa de mais investimento na área do que o Brasil.

“Eu queria até mandar recado para a senhora querida Angela Merkel, que suspendeu 80 milhões de dólares pra Amazônia. Pega essa grana e refloreste a Alemanha, tá ok? Lá está precisando muito mais do que aqui” — disse o presidente.

A declaração foi dada quando Bolsonaro respondia sobre o perfil que ele deseja para o novo procurador-geral da República.
Ele voltou a dizer que procura um nome que não seja "xiita" nas questões ambientais e citou que o governo enfrenta problemas de licenciamento para obras de infraestrutura.

A Alemanha congelou 35 milhões de euros, o equivalente a R$ 155 milhões, para o financiamento de projetos de proteção da floresta, alegando "grande preocupação com o aumento do desmatamento na Amazônia brasileira." O anúncio foi feito pela ministra alemã do Meio Ambiente, Svenja Schulze, ao jornal "Tagesspiegel", no final de semana.

Ao jornal alemão Schulze afirmou que "a política do governo brasileiro na região amazônica deixa dúvidas se ainda se persegue uma redução consistente das taxas de desmatamento". A ministra explicou ainda que o financiamento poderá ser retomado caso essa questão seja esclarecida.

Em nota, a embaixada alemã no Brasil explicou que "a suspensão só concerne recursos que foram destinados a novos projetos financiados pelo Ministério Federal do Meio Ambiente. Os projetos financiados pelo Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento, incluindo o Fundo Amazônia, estão prosseguindo".

Da redação, com conteúdo do jornal O Globo