file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Bahia

13 mil alevinos são soltos em aguadas públicas do Semiárido baiano

Rodrigo de Castro Dias - 17 de Abril de 2017 (atualizado 21/Jun/2017 15h03)

Os alevinos, produzidos pela Codevasf em Xique-Xique/BA, tem como objetivo o fomento à piscicultura familiar e artesanal 

Foto: produção de alevinos vai subsidiar a atividade de piscicultora de centenas de famílias no interior baiano (Divulgação/Codevasf)

Foto: produção de alevinos vai subsidiar a atividade de piscicultora de centenas de famílias no interior baiano (Divulgação/Codevasf)

Cerca de 13 mil alevinos de tilápia produzidos no Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura (CIRPA) da Codevasf em Xique-Xique/BA foram entregues pela Codevasf ao município de Matina, uma ação que visa estimular a atividade piscícola e também assegurar fonte de alimentação para a comunidade local.

“A iniciativa tem parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente de Matina, que está a cargo da soltura dos alevinos. É uma ação que vai beneficiar muito a população local”, explica Isabel Denis, técnica da Unidade de Desenvolvimento Territorial da Codevasf em Bom Jesus da Lapa.

As comunidades beneficiadas com o peixamento são as de Água Preta, Lagoa do Eugênio, Lagoa da Pedra, Lagoa Anastácia, Barragem do Caldeirão de Dentro e Comunidade de Moco, zona rural de Matina.

Esse tipo de ação vem sendo desenvolvido pelo Centro há muito tempo e possui vários objetivos, como a sustentabilidade alimentar das populações, a inclusão econômica e a preservação da cultura alimentar das localidades, porque todas essas comunidades ribeirinhas já têm no pescado seu hábito de alimentação”, afirma Antônio Nascimento, chefe do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura (CIRPA), de Xique-Xique.

Recursos pesqueiros - Desde 2007, os sete Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura da Codevasf, situados na abrangência da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, produziram 146 milhões de alevinos. Destes, 66 milhões foram de espécies nativas e 80 milhões de espécies não nativas, utilizadas para apoio à piscicultura extensiva e intensiva.

Apenas em 2016 foram 12 milhões de alevinos produzidos nos centros da Companhia. Desses, 5,3 milhões foram de espécies nativas e 6,7 milhões de espécies não nativas. Os Centros também realizaram 38 ações de repovoamento com espécies nativas em toda a bacia do São Francisco no ano de 2016.

Com informações da assessoria de comunicação da Codevasf